quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

REFORMA ADMINISTRATIVA EXTINGUE 
"SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DE MONTES CLAROS"

Agradecemos aos artistas ou fazedores culturais autênticos, competentes, honestos e qualificados da "Cidade da Arte e da Cultura" as críticas, manifestações, movimentos, passeatas e até mesmo petição judicial em favor da manutenção da SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA na "CIDADE DA ARTE E DA CULTURA", assim batizada não sem razão ou grandes e claros motivos ou motivações e, de modo especial, o comparecimento ao plenário da Câmara Municipal de Montes Claros nas últimas reuniões - ordinárias -, em que foi discutido e inacreditavelmente aprovado hoje, dia 20/12/2012, "em regime de urgência e por unanimidade (completamente burra, claro!)", a "Reforma Administrativa" da Prefeitura, que a transforma, no máximo, em estrutura - organizacional??? - de empresa ou faculdade e - pasme! - extingue a Secretaria Municipal de Cultura e cria a Secretaria de Esportes, Juventude e Cultura, com a cultura, referência maior da cidade, passando a setor subalterno, se tanto...

A citada "Reforma Administrativa" elaborada pela Equipe de Transição do Prefeito eleito Ruy Muniz, com participação especial de nomes ligados à ainda gestão, que, junto ao Prefeito, nunca respeitaram ou valorizaram a Cultura, muito ao contrário, ao propor o que seria inimaginável a qualquer cidadão com o mínimo de conhecimento, grau de erudição e sabedoria, a fusão da Cultura à área de Esportes (e Juventude), na condição de sub-secretaria, diretoria ou mero departamento do "principal setor", o esportivo (Secretaria Municipal de Vôlei?), não levou em conta elementos ou fatos fundamentais, elementares: Montes Claros tem quase 400.000 e não 4.000 habitantes, é a quinta maior cidade do Estado e já ficou em passado remoto a sua condição de "Fazenda dos Montes Claros", "Arraial das Formigas" ou "Vila de Montes Claros das Formigas", em seus 305 (trezentos e cinco) anos de história, existência e resistência a convites ao atraso, à pequenez, à mesquinhez e ao retrocesso como este que, infelizmente - e por enquanto!!!! - foi "aceito" por falsos, manipulados, controlados e inteiramente negociáveis representantes - ilegítimos - do povo! Levou em conta menos ainda a importância essencial da Cultura em nossa cidade, a sua extraordinária riqueza nessa área, conhecida e reconhecida até mesmo lá fora, com inúmeros nomes e grupos dos mais diversos segmentos artístico-culturais consagrados nacionalmente e com projeção (e premiação!) internacionais, além de suas magníficas manifestações culturais tradicionais e populares, como as Festas de Agosto, bem imaterial de excepcional relevância, cujo valor cultural e importância já foram reconhecidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN; as Folias de Reis, o seu rico e diversificado artesanato, com a Comissão Mineira do Folclore - CML considerando a cidade "um celeiro de Folias", tendo à frente, sempre, o grande Folião "Seu Hermínio", e por aí afora...

"Enxugar a máquina para cortar custos" é uma coisa; "danificar a máquina, economizando ao máximo a inteligência e a coerência com as coisas e as causas da cidade" é outra! Ao tomar conhecimento de parte do conteúdo da "Reforma" na manhã de segunda última, ficamos, claro, completamente estupefata e indignada com a catastrófica notícia! Também em rápida conversa com Ruy Muniz na entrada do Auditório da AMAMS, onde seria diplomado na última sexta, junto aos vereadores eleitos ou reeleitos, solicitamos dele reavaliar a reforma, mantendo a independência da Secretaria Municipal de Cultura de Montes Claros, maior cidade do Norte de Minas, polo cultural, econômico, educacional, social, e que deveria receber, em 2013, o Núcleo de Interiorização da Secretaria de Estado de Cultura para toda a região, com o desmembramento do Núcleo de Interiorização dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas, sediado em Araçuaí, caso, claro, tivesse ou mantivesse uma Secretaria específica de Cultura, como a maioria das cidades norte-mineiras, a exemplo de Pirapora, Janaúba, Bocaiúva, Porteirinha, Januária, São Francisco, Francisco Sá, Mirabela etc etc etc! Não se tratava tão somente de justa, justíssima pressão, mas também de necessária informação e mais que correta reivindicação da imensa, forte, organizada, corajosa e preparada classe artística da cidade, cheia de gente indiscutivelmente talentosa e que está sempre a apresentar trabalhos da mais alta qualificação técnica, seja na área literária, musical, teatral, das artes plásticas e tantas outras, que geraram, no passado e no presente, nomes e grupos da grandeza de um Cyro dos Anjos, Darcy Ribeiro, Cândido Canela, Ray Collares, Zé Côco do Riachão, Dulce Sarmento, Konstantin Christoff, Yara Tupinambá, Alberto Graça, Godofredo Guedes (e família...); Hermes, Walmor, Virgílio e Virgínia de Paula; Maria Luiza Silveira Telles, Geraldo Freire, Aline Mendonça, André Luís, Wandaick Santos, Márcio Leite, Grupo de Seresta João Chaves e todos os demais; Luís de Paula Ferreira, Glorinha Mameluque, Maria Câmara, Pedro Mendonça e músicos irmãos; Eva Bárbara Teixeira de Carvalho (fundadora da Banda Euterpe Montes-clarense), Maristela Cardoso, Simone Santana, Roberto Mont`Sá, Georgino Júnior, Tino Gomes, Tico Lopes, Yuri Popoff, Olintho da Silveira, Yvonne de Oliveira Silveira, Ruth Tupinambá Graça, Simeão Ribeiro Pires, Arthur Jardim de Castro Gomes, Maria Ribeiro Pires, Marina Helena Lorenzo Fernândez, Maria José Collares Moreira (Zezé Collares), Maria Lúcia Avelar, Mário Boy, Walmir Alexandre, Sérgio Ferreira, Afonso Teixeira, Gemma Fonseca, Júlio Vallim, Hélio Brantes, Márcia Prates, Marcos Maia, Lourdes Pimenta, João Rodrigues, Biolla, Roldão Chaves, Guilhermina Lúcia, Raimundo Nonato Mendes, Carlos Araújo, Lúcio Saraiva, Carlos Muniz e Conceição Melo, Felicidade Patrocínio, Ângela Martins Ferreira, Nelson Vianna, Haroldo Lívio de Oliveira, Dário Teixeira Cotrim, Amelina Chaves, Karla Celene, Dóris Araújo, Petrônio Braz, Manoel Hygino, Genival Tourinho, Eduardo Lima, Alberto Senna, Jorge Silveira, Waldyr Senna Batista, Felipe Gabrich, Ucho Ribeiro, Wanderdaick, Ildeu Braúna (e membros do ex Grupo Agreste), Pedro Boi, Charles Boavista (e membros do ex Grupo Raízes), Cori Gonzaga, Carlos Maia, Herbert Lincoln, Beu Vianna, Edson A. Lima, Beth Pimenta, Élcio Lucas, Zé Lu e Banda, Rayedson e Grupo, Elthomar Santoro Júnior, Ismoro da Ponte, Itamaury Teles, Luís Carlos Vieira Novaes (Peré), Paulo Braga, Paulo Narciso, Raphael Reis, Augusto Vieira Neto, Antônio Augusto Souto, Wanderlino Arruda, José Luiz Rodrigues, Raquel Chaves, Roy Chaves, Lola Chaves, Joba Costa, Aroldo Pereira, Penninha Júnior, Jurandir Barbosa, João Caetano Canela, Ronaldo José de Almeida, Tibúrcio, Ana Maria de Castro (Rôxa), Maria Aparecida Macêdo Santos (Cida Artesã), Maria Aparecida Veloso Godinho (Dona Cida das Bonecas), Sílvia Veloso, Ailton Rodrigues, Osvaldo Benedito Barros (Osvaldo Santeiro), Charles Hermenegildo, Wanda Zanotta, Paulo di Tarso, Marilene Matos, Jaqueline Pereira, Igor Xavier, Luciano de Jesus; Lara Araújo, Alexandre Zuba, Bel Mendes, João Pimenta dos Santos (Mestre Zanza), Padre João Batista Lopes, o "Padre dos Catopês", Mestre João Batista Faria, Mestre Zé Expedito (de Catopê, mesmo congado/congada, com características regionais); Mestre Tim e Tony Cachoeira (Marujada), Cacicona Socorro (Caboclinhos); Aníbal, o Carroceiro; Miguel Marujo, José Calixto da Cruz (Mestre Nenzinho), os inúmeros e brilhantes Grupos de Teatro, Prof. Batista, Terezinha Lígia, Rui Tupynambá, Eliana Delfino, Jackson Antunes, Téo Azevedo, Haroldo Soares, Renilson Durães, só para citar alguns poucos, num universo de centenas de milhares de artistas ou fazedores culturais da cidade, filhos legítimos ou adotivos e tão legítimos quanto, que estão sempre a levar, elevar, dignificar e engrandecer o nome da cidade Brasil e no mundo!

Uma coisa é fusão. Outra é confusão! "A fusão de Secretarias que tenham conexão". Em grandes centros e capitais, o setor de Esportes é associado ao de Juventude e Combate às Drogas! Uma solução sábia, sem dúvida! Por que não a aproveitaram aqui, onde as drogas vêm consumindo e matando tantos jovens?! A extinção da Secretaria Municipal de Cultura numa cidade do porte, importância e população de Montes Claros partiu de qual "cabeça" (pensante ou minguante?), de qual "gênio" da "arte-manha"?! Na verdade, estes que ainda estão aí não fizeram mais que tentar prejudicar a Secretaria Municipal de Cultura o tempo todo, no que tem de trabalho sério, correto e honesto; nas ações culturais propriamente ditas; no necessário respeito e apoio aos milhares de artistas ou fazedores culturais da cidade, nos Conselhos Municipais de Cultura e de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Montes Claros - COMPHAC! Se Ruy Muniz discutiu a dita Reforma com especialistas, que sejam citados os seus nomes, currículos e, principalmente, que se saiba se eles têm a menor noção sobre a cidade, "sua história, sua gente, seus costumes", acima de tudo, do que, afinal, lhe dá identidade! Falam em "imaturidade político-administrativa", que rima com irresponsabilidade! Confundiram Cultura com "curtura" (que loucura é essa?!), então que tivessem perguntado, estudado, pesquisado sobre o assunto, antes de reduzirem a pouco ou quase nada uma pasta de tamanha extensão, abrangência e significado!!!!

Outra coisa a se levar em conta: "Cultura é tudo que se faz no planeta" e, para começar, a Educação, com que o Prefeito eleito trabalha, é Cultura!!! Em cidades avançadas, evoluídas e no primeiro mundo, a Cultura é considerada tão prioridade quanto a Saúde e a Educação! Chegamos a sugerir como modelo, quem sabe, "ideal e mais apropriado", o organograma de cidades como Uberlândia, Uberada, Juiz de Fora, cuja estrutura organizacional corresponde à realidade de cada cidade, mas, diante do "Projeto" aqui apresentado, o organograma das menores cidades da região já serviria de referência, para que não se cometesse em Montes Claros, "Cidade da Arte e da Cultura", tamanho desvario e descalabro! Jornalista da cidade afirmou que o futuro gestor "estaria consciente das pressões, e disposto a enfrentá-las, sem ceder!" Só não falou nos óbvios valores consumidos nesse esforço! Isso não foi, no mínimo, sábio da parte dele! Não é nada bom para ele já começar a gestão cometendo um erro tão crasso quanto inaceitável, melhor dizendo, um crime imperdoável contra a cultura da cidade, nem é bom para ninguém que tenha sério envolvimento e compromisso com o setor! Cultura é questão básica, fundamental, imprescindível! A sociedade, através dos setores prejudicados, se tivesse sido ouvida, não  teria permitido a aprovação de uma reforma administrativa "construída" (ou destruída?) da forma como foi, como fator de desgaste, insatisfação, indignação absolutos daqueles que pensam, fazem, sentem, contribuem, constroem!...

Mais um doloroso e inacreditável enfrentamento nos espera!!! Mais uma luta brava, bravíssima, se necessário; uma guerra sem precedentes na já longa história da cidade, no sentido da recriação, ainda em janeiro de 2013, da Secretaria Municipal de Cultural de Montes Claros!!

A arte, a cultura e o patrimônio histórico da cidade não merecem tamanho despreparo e desrespeito!!!!


Obs.: Os nomes de artistas que aqui não foram citados, por um lapso, peço por gentileza que me comuniquem para inclusão.

| TRANSLATE THIS PAGE |