segunda-feira, 29 de abril de 2013

"PC". SAUDAÇÕES!...

Raquel Mendonça*


Há bom tempo, só um "partido" nos toma o tempo, a atenção, o interesse, o esforço contínuo e, claro, o voto! O famoso "PC", ao qual estamos  profundamente "filiada", para não dizer apaixonada, há cerca de quarenta e poucos anos!... Questão de ideologia, melhor dizendo, de ideal!... De vida e trabalho!!

Pensou no Partido Comunista, não?! Não nos incomodaria, mas não o é! É, sim, o "Partido Cultural"! Ou seja, o que nos preocupa, verdadeira, seriamente, completamente, e há longos anos, como servidora pública municipal de carreira que somos, com muita honra, concursada e efetivada no cargo, e sempre trabalhando/lutando em prol dessa área, é a Política Cultural a ser inteiramente implantada e respeitada na "Cidade da Arte e da Cultura", assim batizada, com muita propriedade, pelo saudoso e inteligente jornalista, escritor e teatrólogo Reginauro Silva, diferenças e desavenças pessoais e de imprensa à parte...

Aos dezessete anos, assumíamos a "Página Literária" criada pelo escritor João Valle Maurício, que evoluiu para a página cultural "Rua Quinze", no extinto Diário de Montes Claros, e, a seguir, Letras, Artes & Outras, onde já defendíamos todas as questões importantes de cunho cultural do município e publicávamos o melhor das crônicas e poesias da cidade, como incríveis pérolas poéticas do também genial poeta (além de artista plástico de primeira grandeza, hoje considerado um dos vinte maiores e mais importantes artistas plásticos contemporâneos do mundo!), Ray Collares, de quem fomos amiga pessoal e especial, além de protetora constante - uma espécie de "anjo da guarda", como nos chamavam alguns dos seus - que, atendendo prontamente a pedidos angustiados, via telefone, quase sempre entre as 2/3 horas da manhã, de sua mãe, a muito querida e estimada Dona Joaninha, saíamos rápida e sozinha, no meio da noite, mas numa cidade ainda pacata e sem a violência hoje instalada, à cata do amigo e artista plástico perdido (ou retido...) em algum bar ou banco de praça, a resgatá-lo de episódios embaraçosos, de fundo financeiro ou não, tristemente frequentes, vezes dramáticos, com toda afeição, "paz-ciência" e carinho de irmã de alma, arte, espírito e coração, e do nosso muito querido, também extraordinário poeta, por nós batizado de "O Guimarães Rosa da Poesia", ou seja, o grande Cândido Simões Canela (Cândido Canela), autor de "Rebenta Boi" e "Lírica e Humor do Sertão", com "Seu" Beto, seu melhor intérprete, lutando hoje para criar, na cidade, dentro do Museu Regional do Norte de Minas, em fase final de organização, a ser implantado pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, no "Sobrado da Escola Normal/FAFIL", ou prédio da FAFIL, justo "Memorial Cândido Canela". E que Armênio Graça Filho, grande músico, maestro e multiartista, de renome nacional, além de Secretário Municipal de Projetos Especiais, muitos deles somente geniais, quer estender a nomes também da maior grandeza cultural, como Ray Collares, Aline Mendonça e tantos outros que lhe arrancam não apenas palavras da mais completa admiração, mas também lágrimas da mais pura emoção!

As manifestações culturais tradicionais e populares da cidade sempre despertaram em nós maior zelo, defesa e cuidado, especialmente as de cunho religioso, como as nossas excepcionais "Festas de Agosto" - parte importante do catolicismo popular da cidade - e seus Catopês (mesmo Congado - Zumbi, Moçambique - de outros lugares, com ricas, belíssimas, extraordinárias características regionais!), Marujos e Caboclinhos, seguindo a trilha clara e profusamente luminosa de apoio e sabedoria deixada por um Hermes Augusto de Paula, historiador e folclorista de primeira grandeza e importância, sobrinho do nosso avô e padrinho de batismo, João Xavier de Mendonça (assim como a querida Fina, sua esposa e prima), e com quem convivemos desde menina, na sua casa ainda na Cel. Prates, onde hoje residem as muito queridas e estimadas Fina e Virgínia, ou nos Natais inesquecíveis na casa de tia Joana, de saudosa e bondosa memória! E as "Folias de Reis e Pastorinhas do município" (na trilha também infinitamente brilhante e iluminada do tio-avô Pedro Mendonça, da "Malhada de Santos Reis")! Visando melhor organizá-las e fortalecê-las, demos o necessário apoio técnico aos Mestres ou Chefes de Catopês, Marujos e Caboclinhos (junto ao amigo Joba Costa) à criação da Associação dos Grupos de Catopês, Marujos e Caboclinhos de Montes Claros e, junto aos grandes chefes de Folias de Reis e Grupos de Pastorinhas de Montes Claros, fundamos a Associação dos Ternos de Folias de Reis e Pastorinhas do Município! De tão rica nesse aspecto cultural, a Comissão Mineira de Folclore - CMF chegou a considerar Montes Claros um verdadeiro "Celeiro Mineiro de Folias!..."

E os nossos artesãos e artesãs, maioria deles tão desconsiderada, até mesmo desprezada?! E são tantos os artesãos ou escultores excepcionais do barro/argila e madeira, especialmente, a levarem e elevarem o nome de Montes Claros lá fora!... Entre eles, um Walmir Alexandre, um Biolla (que utiliza até mesmo a madeira de edificações antigas carcomida pelo cupim e pelo tempo), uma Felicidade Patrocínio, escultores que dispensam apresentação; o grande e mais que perfeito Tibúrcio, do Mercado Municipal Central Christo Raelf; Ana Maria de Castro, a famosa Rôxa; sua irmã Maria Aparecida Macêdo Santos, a Cida Artesã; a primorosa bonequeira Maria Aparecida Veloso Godinho, a doce "Dona Cida das Bonecas"; Sílvia Veloso e suas tantas, minuciosas e belas artes; o genial Ailton Rodrigues da Silva (Casa do Artesão!!), o "Ailton Poteiro", com trabalho reconhecido e aplaudido no estado; Osvaldo Benedito Barros, o Osvaldo Santeiro - do "São Francisco com Pássaros" e tantas outras conhecidas peças - e muitos e muitos outros artistas ou fazedores culturais da terra em tudo fértil e talentosa, dos mais diversos e ricos segmentos artísticos, mas tantas vezes tão esquecida de suas maiores e verdadeiras riquezas, as essenciais!... Vale aqui lembrar a justa fúria de uma Yara Tupinambá contra a "descaracterização" do autêntico e legítimo artesanato da cidade, no Centro Cultural Hermes de paula - CECHP, quando ali funcionava, há duas gestões, a Secretaria Municipal de Cultura!

O apoio a José Barbosa dos Santos (Zé Côco do Riachão), o grande "Folião de Reis" de São Pedro das Garças e incomparável "Mestre da Rebeca e da Viola", que morava ali, na Rua Bárium, 291-A, Bairro de Lourdes, junto à única filha e protetora Luiza, considerado "O Beethoven do Sertão" por TV alemã e hoje estudado nas maiores universidades do mundo como "fenômeno da música popular mundial", foi amplo, total e irrestrito, contra tudo e contra todos que não tinham olhos nem ouvidos - incluídos Prefeitos e Secre(o)tários de Cultura, que se negavam até mesmo a recebê-lo em seus "pobres" (e podres) gabinetes! - para a extraordinária beleza e qualidade de suas composições musicais, bem como para os instrumentos que fabricava e tocava divinamente, dele recebendo um dia, de forma inimaginavelmente simples e surpreendente, verdadeiro "troféu", que é uma pequena e primorosa rabeca ou rebeca, sob a base da qual pediu registrassem: "Homenagem de Zé Côco do Riachão a Raquel Mendonça, em 05/10/92". Nenhuma outra homenagem, em forma de placa, certificado ou troféu nos provocou emoção maior ou nos fez chorar tanto e até hoje, quando o vemos, tão lindo e significativo, em meio a outros de mesmas ou outras áreas e origens!

De lá para cá, foram mais e mais páginas atrás de páginas culturais, nos vários jornais da cidade! "Cultura & Cia", etc, no antigo Jornal do Norte, onde ousávamos reescrever poemas de Drummond, e dele recebíamos preciosas missivas, e onde, desde sempre, abríamos espaços e mais espaços para artistas ou fazedores culturais de todos os segmentos artísticos da cidade, buscando dar visibilidade ao talento e ao trabalho de cada um, com destaques cada vez maiores e mais consistentes! Por último, mantivemos por quase dez anos a Página Cultural "Arte & Fatos" no Jornal de Notícias (JN), hoje aqui, virtual! Além da elaboração de matérias de arte - sempre que possível - publicadas na revista "Tempo", da amiga Patrícia (Pat) Silva, há longo tempo e crônicas na revista Liberdade, do também amigo Noriel Cohen! Sem contar o concorrido Minaslivre.Net, de Itamaury Telles, outro grande amigo e companheiro de jornada jornalística, histórica e literária, onde nos abriu espaço e até mesmo "foto especial", por ele artisticamente trabalhada, e que nos está sempre a cobrar maior colaboração ou participação! É o tempo, amigo, o tempo! E os conhecidos e cansativos contratempos, como a recente demolição de edificação monumental da cidade, apesar de todos os nossos esforços em contrário!!

Parte de 2011 e o ano de 2012 foram especialmente difíceis, penosos (e maldosos...) para nós, à frente (sem nomeação e justa gratificação de função, desde janeiro de 2009!) da Divisão de Preservação e Promoção do Patrimônio Cultural de Montes Claros, na Secretaria Municipal de Cultura/Prefeitura de Montes Claros, quando nos colocamos brava e firmemente contra a venda espúria de parte da Praça de Esportes (de Minas Gerais) de Montes Claros - o MCTC, um dos maiores patrimônios culturais e naturais do Município e único "pulmão" verde do centro da cidade, que já vem recebendo a única ação de que carece e merece, ou seja, limpeza geral e restauração ou restauro, também geral! E quando foi, por esta razão, desativado o importante e atuante Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Montes Claros – COMPHAC, que necessitava apenas de rápida reestruturação de sua composição, conforme sugestões, de modo especial, da Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais – MPMG, leia-se Dr. Marcos Paulo de Souza Miranda, legítima referência estadual em seriedade, capacidade e competência, bem como de grandes técnicos do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais - IEPHA/MG.

Somos de argumentos e enfrentamento diretos, sim, se necessário, com base em leis ou conduta moral, cultural apropriada; de profundo compromisso com a Verdade, os Fatos, a Honestidade e o Bem! E o Mal, por sua vez, fica com quem o faz - pensa, sente, fala e comete! -, não com quem supostamente o recebe!...

Em 1985, junto aos nomes dos saudosos historiadores e escritores Arthur Jardim de Castro Gomes, Simeão Ribeiro Pires (também arqueólogo) e Virgílio Abreu de Paula, criávamos o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Montes Claros - COMPHAC, e iniciávamos uma verdadeira e longa batalha (e ainda inacabada...) pela preservação dos velhos casarões e sobrados da cidade, especialmente os situados dentro e no entorno da Praça Dr. Chaves ou da Matriz, ou seja, no Núcleo Histórico da cidade. Prerrogativa do Executivo, o tombamento era sempre rejeitado ou negado pelos senhores Prefeitos ("Montes Claros não é Ouro Preto para tombar casa velha", disse um deles, do alto de sua impressionante ignorância e boçalidade e, pior, na casa de um dos maiores historiadores da cidade!), ou drasticamente reduzido o número de bens imóveis tombados, se comparado ao que ficou definido pelo COMPHAC, ainda em 1986, com base no Primeiro Inventário de Proteção do Acervo Cultural de Montes Claros - IPAC/MONTES CLAROS, realizado pelo IEPHA/MG, na cidade, com a participação de nomes da grandeza de um Carlos Henrique Rangel e muitos outros. Por essa razão, foram poucos os sobrados que sobraram, casarões ou marcos da memória, história e origem da cidade que permaneceram em pé, como um presente ao futuro e parte mais que importante, imprescindível, da identidade cultural do município!

Falar em "Cultura" aqui há trinta, quarenta anos atrás, era motivo de gracejos ou piadas de profundo mal gosto e desrespeito, o que nos levou até mesmo a acompanhar o saudoso e grande artista gráfico Mário Boy (fundador, junto à escultora Felicidade Patrocínio, da Associação dos Artistas Plásticos de Montes Claros) em caminhadas pela noite, quando ele artisticamente pichava muros de prédios fechados ou abandonados, exigindo "Respeito à Cultura da cidade!"

Já tínhamos há longo tempo definidos na mente e coração os nossos compromissos maiores e mais importantes de trabalho, ou seja, a Arte, a Cultura e a História da cidade, áreas com as quais sempre estivemos emocionalmente e realmente envolvida, para estranheza daqueles que achavam que devíamos fazer, sim, e com facilidade, grandes concursos, para alcançar altos salários, sem compreenderem os nossos reais valores, o que nos alimenta a alma e sempre representou e representa, para nós, profunda satisfação e realização interior, interesses e atividades estes com os quais sempre estivemos emocional e espiritualmente conectada, sem descartar a razão, ainda que movida à paixão!... Não fazemos mais, pois, do que nutrir o que nos nutre, trabalhar ou lutar no e pelo que nos alegra o coração e dá prazer à alma!

Até hoje não há aqueles que não entendem ou não têm, por inteira desinformação ou falta de sensibilidade e inteligência, a cultura como prioridade, junto à Educação (que é Cultura!!!) e à Saúde?! Políticos pequenos e medíocres de todas as esferas de poder que dizem verdadeiras asneiras como "cultura não dá voto", sem sequer atinarem para o fato de que cultura é "tudo que se faz no planeta", nas palavras de um Tião Rocha, Presidente do Centro de Cultura Popular e Desenvolvimento de Belo Horizonte, membro e ex-presidente da Comissão Mineira de Folclore, com quem participamos de inúmeros Encontros de Cultura Popular e Congressos Brasileiros de Folclore no estado e país. Na profícua e honrada gestão de Mário Ribeiro, representamos o município, através de sua indicação, em grandes eventos culturais Brasil afora, ele que tanto valorizou e respeitou a Cultura, a Saúde, a Educação, o Funcionalismo Público e tudo que solicitasse ou necessitasse a população, de quem se sabia um simples, humilde e fiel servidor! Um bom, verdadeiro e avançado "Empregado do Povo", expressão hoje finalmente comum!...

Na condição de Secretária Municipal Adjunta de Cultura, além de todas as ações culturais concretas possíveis - não somente os “e-ventos culturais”!! -, colocadas em prática, batizamos o auditório do Centro Cultural Hermes de Paula, casa ou unidade cultural ligada à Secretaria Municipal de Cultura, assim como, e da mesma forma, a Casa do Artesão de Montes Claros, de "Sala Cândido Canela" e a Galeria de Artes de Godofredo Guedes, considerado o "Pai das Artes Plásticas da cidade"! - inclusive por um Ray Collares, que assim o chamava e acrescentava: "também o tenho como o meu pai nas artes"! - No grande Atelier de Godô, na casa da família lamentavelmente demolida, passamos manhãs ou tardes - dias inteiros, quando possível! - de arte e afeto paternal inesquecíveis! Sem contar o Godofredo genialmente musical, que contagiou o filho Beto e o neto Gabriel com o seu imenso dom e talento!

Nunca desistimos, por piores que fossem as traiçoeiras e grosseiras pedras de tropeço "plantadas" em nosso caminho profissional, permanecendo à frente do setor, como Gerente (ainda Interina) de Preservação e Promoção do Patrimônio Cultural da Secretaria Municipal de Cultura/Prefeitura de Montes Claros.

Pois bem, mal começamos a contar a já longa história, mas encerramos por hoje refletindo somente sobre o seguinte: se não é considerado "normal" pela maioria trabalhar seriamente, corretamente - do ponto de vista cultural e financeiro!!! - e honestamente, vamos continuar completamente afastada do que seria "o normal" para essas figuras abomináveis, ou seja, "levar vantagem em tudo", para não usar piores palavras e por piores que sejam as reações que tal postura desperta nos maus e de profundo mau caráter que tivemos no passado ao nosso lado ou à nossa volta, e que reagiam muitas vezes até mesmo com agressões verbais e assédios morais inaceitáveis! E se conhecimento, experiência, capacidade e competência causam sempre tanto ciúme, inveja, calúnia e maledicência entre deslumbrados ou culturalmente limitados, incapazes, vamos fazer o quê? Desistir?! Podem ficar (in)tranquilos, este ou aquele, esta ou aquela, porque a resposta é uma só: Jamais e Nunca!... Porque a tola vaidade ou deslumbramento é uma inteira bobagem, principalmente se associada à vida nada honrada, e à verdade, vezes vergonhosa, dos atos, atitudes ou intentos de cada um, por mais que as tentem camuflar, por meio do teatro barato da aparência de "melhor pessoa do mundo" ou da mesquinhez repetitiva da corrida, entre risos fáceis, atrás dos brilhos falsos e impróprios dos holofotes sempre a postos!...

Se verdadeiramente os têm, que não economizem tanto, por favor, talento e inteligência! E se não se incomodam, que nos poupem a pouca - para esses "casos, causas e coisas tão infinitamente pequenos" - a nem sempre infinita paciência!!!...

domingo, 28 de abril de 2013

PEC 37: GRAVE E ABSURDA AMEAÇA AO PAÍS E A SEU TÃO SOFRIDO e "ROUBADO" POVO!


Não seria mais claro, correto e preciso chamar a PEC 37 - escancaradamente, como o são os milhares de casos de desvios do dinheiro público no país - de "PEC (PE"C") da CORRUPÇÃO"?! Insensatez é pouco, muito pouco, porque de loucos os seus defensores não têm nada; de desonestos tudo!! O "País da Impunidade" voltaria vergonhosamente séculos atrás no tempo e ganharia força monstruosamente incalculável o famoso jeitinho brasileiro ou "propineiro" de dar, na verdade "vender", "solução" a tudo de incorreto, irregular, ilegal, amoral!! É, no mínimo, completamente inaceitável e vergonhosa, para ser gentil, extremamente delicada, a sua aprovação! A quem ou quais interessaria tirar o poder investigatório do Ministério Público, de tantos serviços sérios e necessários prestados ao país, através de suas Promotorias de Justiça e de outros órgãos ou instituições públicos e igual conduta, ainda que não se constitua, como tudo, em regra, mas em imensa maioria, sim, não há dúvida?! Altos escalões do nosso tão podre, degradado e deteriorado poder político, através de seus incontáveis especialistas em crimes contra o erário público, que não se pode caracterizar tão somente como furtos, mas roubo, sim, que inclui o componente ou ingrediente da violência, de mil vestes e vias para acontecer ou ocorrer!!! Os índices de impunidade seriam infinitamente elevados às alturas e os corruptos ou criminosos do colarinho (branco???) de plantão em todas as esferas de poder deitariam e rolariam ainda mais ampla e folgadamente (a rirem, gargalharem, claro, da população que os elegeu seus in-dignos "representantes", em sua também imensa maioria; fiscais ou administradores do seu sempre "apropriado indebitamente" patrimônio!!) sobre os já tão desrespeitados, invadidos, devastados e "esburacados" cofres públicos, em mil formas, maneiras ou manhas de "enfiar a mão suja, imunda e tacanha" no que ao povo pertence, que deviriam servir a bem responder às suas inúmeras necessidades básicas, e que lhe deveriam garantir, sim, sobrevivência digna, ao invés de mais e mais enriquecer aqueles que se locupletam - de milionários a bilionários... - no poder!! Os mais que flagrantes prejuízos à saúde, educação, cultura, segurança, infraestrutura básica, etc, cresceriam ainda mais de tamanho, proporção e ousadia/covardia, tirando, sem o menor escrúpulo, o pão da boca da criança; o remédio de uso contínuo da mão do idoso; o dinheiro do seu já pobre e esvaziado bolso, vítima de tanto peculato e cia i/ltda!... Quantos milhares de óbitos se dão e cuja causa é, tantas e tantas vezes, a falta ou roubo de itens básicos de preservação da vida?! Com ISSO, sem nenhuma decência, (que de nós mereceria ainda piores adjetivos!), iriam também por água pútrida abaixo o poder investigatório da IMPRENSA, a LEI (POPULAR) DA FICHA LIMPA - ainda que muitas vezes mal interpretada ou aplicada! - e por aí - mal - afora!!!! Que o Brasil não se cale ou se curve diante dessa tão amoral, danosa, atrasada ou retrógrada ameaça, pois os crimes hediondos ou odiosos cresceriam ainda mais assustadoramente de tamanho e proporção, com consequências mais que previsíveis, ou seja, o aumento inimaginável de atos e mais atos já tão indigestos quanto enojantes de corrupção!!! E quem "aprova(?") a PEC 37, por completa ignorância ou talento comprovado para práticas e obras desonestas, que se mude de mala, cuia e máximo de corruptos possíveis juntos para a Uganda, Quênia, Indonésia, ou para bem prá lá do fim do mundo, que é lugar apropriado para abrigar a parte podre de todos os poderes públicos constituídos e tantos danosamente comprometidos, corrompidos, prostituídos do país!!!! BRASIL, PAÍS PARA SEMPRE "DA IMPUNIDADE?!!!

Raquel Mendonça
Jornalista e Defensora do Patrimônio Cultural de Montes Claros há 43 anos; cidadã montes-clarense; funcionária pública concursada e efetivada no cargo que mantém acesos, a duras penas e preços (inclusos injúrias, ofensas, agressões e assédios morais sofridos até a última indi-gestão) o profundo amor e compromisso com a VERDADE, o BEM, a CORREÇÃO e a JUSTIÇA!!!...

| TRANSLATE THIS PAGE |